Mas que mundo é este?

É tão frustrante acompanhar as notícias que dão conta dos atentados a que estamos submetidos diariamente… Mais uma vez me revolto com o que está a acontecer.

Ontem foi em Barcelona, onde será o de amanhã?

Será possível termos de viver sempre em sobressalto, com medo e receio de que em minutos tudo o que estava à nossa volta se transforma num cenário de horror?

Penso nisto sempre que o assunto vem à tona.

Sempre que há um atentado assistimos às imagens horríveis que invadem as redes sociais, a televisão, e todos os meios de comunicação possíveis…Sentimos de longe o sofrimento causado a milhares de pessoas, pensamos em amigos ou familiares que possam estar de férias ou a trabalhar naquela zona… Pensamos logo nas pessoas que foram e naqueles que conseguiram escapar, pensamos que são o filho ou o irmão de alguém, pensamos em quem vai ficar sozinho e em quem fica traumatizado… Pensamos em tanta coisa. É sufocante! São momentos duros, são momentos que nos levam a fazer um flash-back sobre tudo o que já vivemos.

As mortes diárias são umas constante, as vítimas da crueldade que existe no mundo já não se conseguem estimar e todos os dias é mais do mesmo. O que é que se passa ao certo com as pessoas? Quem é que podemos culpar por todos estes actos terroristas? Mas afinal quando é que isto acaba?!

São tantas as perguntas e o sentimento de impotência permanece, dia após dia.

São desabafos de quem vê e pouco ou nada pode fazer, senão lamentar pelos actos terroristas (e tantas outras coisas) que aconteceram e acontecem todos os dias!